A aplicação STAYAWAY COVID foi desenvolvida exclusivamente para os sistemas operativos iOS, da Apple, e Android, da Google. A aplicação depende especificamente de uma extensão recente destes sistemas operativos a que se chamou “Notificações de Exposição”. A utilização desta funcionalidade permite às aplicações de rastreio digital de contactos, como a STAYAWAY COVID, entre outros: i) executar sem constrangimentos quando não está em primeiro plano, ii) assegurar a interoperabilidade entre aplicações sobre sistemas operativos diferentes, iii) assegurar a interoperabilidade com aplicações de outros países da União Europeia e iv) usufruir das várias otimizações introduzidas ao nível do sistema operativo na utilização do Bluetooth Low Energy.

Infelizmente, apenas os telemóveis com Apple iOS de versão igual ou superior a 13.5 e com Google Android igual a superior a 6.0 suportam as “Notificações de Exposição”, o que deixa de fora muitos dispositivos de outro modo funcionais.

Nada sugere que a Apple e a Google venham a incluir as “Notificações de Exposição” nas versões anteriores dos seus sistemas operativos. No caso da Apple, os modelos que não suportam a versão 13.5 são anteriores a 2015, tendo sido, desde aí, lançados 14 novos modelos. No caso da Google, o panorama é diferente devido à diversidade de construtores de telemóveis com Android. A Google estima que mais de 85% dos telemóveis Android suportam a versão 6.0 e, portanto, as “Notificações de Exposição”. Deste conjunto, excluem-se, no entanto, vários modelos da marca Huawei que, por não estarem autorizados a usar os Google Play Services, não suportam as “Notificações de Exposição”. No entanto, estamos informados que esta empresa se encontra a desenvolver serviços compatíveis com os da Google e da Apple o que poderá permitir, em breve, executar a STAYAWAY COVID em todos os seus modelos de telemóvel.

Atualmente, os telemóveis Android dificultam ainda uma execução eficiente das aplicações de rastreio digital de contactos. A utilização de Bluetooth neste sistema operativo implica que os serviços de localização, o que inclui o GPS, estejam ativos, o que, apesar de não serem utilizados pela STAYAWAY COVID, causa um consumo considerável de bateria. Este é um problema que apenas a Google pode ultrapassar. Além disso, com o objetivo de reduzir o consumo de bateria, vários fabricantes incluem mecanismos específicos aos seus modelos que cessam automaticamente a execução de aplicações que não estejam ativas e estejam a escutar em segundo plano. Apesar de a STAYAWAY COVID não deixar de funcionar quando é fechada e continuar a enviar e receber identificadores aleatórios, não faz automática e diariamente a avaliação do risco. Apenas quando o utilizador a invoca é que acede ao servidor alojado na Imprensa Nacional-Casa da Moeda e obtém a informação necessária.